Portugal (PT)
  • Artigos APCER

    Conciliação da vida profissional, pessoal e familiar

    A NP 4552:2016 define os requisitos para a implementação, manutenção e gestão de um sistema de gestão da conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal e aplica-se a todas as organizações, públicas ou privadas, independentemente do tipo, dimensão, ...

     

    Ler mais

Tagged em
08 Nov. 2018

ISO/IEC 20000-1:2018 - O que fica mais fácil e os novos desafios

Para as empresas que queiram implementar a ISO/IEC 20000-1 a partir de agora, a nova versão torna o processo menos complexo para alguns requisitos, porque os mantém no essencial, mas diminui o nível de detalhe, concentrando-se no que as empresas têm de fazer e dando maior grau de liberdade relativamente à forma como o concretizam na implementação.

Para as empresas já certificados pela ISO/IEC 20000-1 a transição deve ser preparada, as alterações devem ser avaliadas, mas em algumas situações não serão de fundo.

A versão de 2018 é menos exigente em termos documentais, por exemplo, o número de procedimentos documentados obrigatórios diminui, em linha com o que vem acontecendo nas revisões de outras normas e de acordo com as novas regras para Normas ISO. Outro exemplo são as políticas documentadas que deixam de ser obrigatórias, como as políticas de entregas e de melhoria, que já não são um requisito. Outro aspeto documental relevante é o desaparecimento da referência ao Plano de Capacidade e ao Plano de Disponibilidade.

Um outro ponto relevante na diminuição da complexidade na implementação de um SGS de acordo com a nova versão da ISO/IEC 20000-1 é o desaparecimento da CMDB (Configuration Management Database), que é substituída por “Informação de Configuração”.

Um dos pontos mais difíceis de ultrapassar na implementação da versão de 2011 da ISO/IEC 20000-1 pelas empresas que a implementaram, era a necessidade de acordar com o cliente um conjunto de aspetos que incluíam a definição de reclamação ou os requisitos de capacidade. Estas dificuldades desaparecem deixando de ser necessário acordar com o cliente requisitos de capacidade, e de continuidade, e definições de incidente crítico, entrega de emergência ou uma política de entregas.

Um novo desafio é a introdução da necessidade de identificação dos riscos e oportunidades relacionados com o contexto da organização, com o não cumprimento dos requisitos dos serviços e com as partes interessadas envolvidas no ciclo de vida do serviço. Mantem-se o requisito para os riscos de segurança da informação, na gestão da disponibilidade, continuidade e alterações. Acrescenta-se a necessidade de identificar oportunidades para o SGS, os serviços e os clientes, sendo este outro novo desafio para as empresas que vão fazer a transição do seu SGS ou implementar de acordo com a nova versão.

 

Mário Rui Costa

Auditor APCER

 

(2º artigo de 3)

Conheça as mais recentes certificações APCER

Download PDF

Conheça as mais recentes certificações APCER

Download PDF

Newsletter APCER

Receba todas as novidades por email

Fale connosco

Entre em contacto para pedido de informação ou proposta comercial

Este website utiliza cookies para melhorar a sua performance, análise de tráfego e otimizar a experiencia do utilizador. Ao usar este website, concorda com a sua utilização
Mais informação Concordo